banner consultoria aurus

O modelo de trabalho a AURUS, propõem o assessoramento a Empresa, objetivando a transferência de conhecimento e experiências. Assim todas as nossas propostas de atuação são no intuito de capacitar e instruir, objetivando que a organização possa seguir a Jornada Lean, sem a criação da dependência de qualquer instituição externa.

“NOSSO OBJETIVO É QUE DEIXEMOS DE SER NECESSÁRIOS”

Cultura de melhoria contínua

  • Ambiente favorável à melhoria
  • Incentivar, mensurar, celebrar.

Controle, aprendizado e gestão

  • Gestão do conhecimento
  • Integração com SGI
  • Adequação à lei de incentivo à inovação

Conhecimento das técnicas e filosofia

  • Difusão e entendimento da filosofia
  • Capacitação e treinamento

Otimização dos processos

  • Fortalecimento da aplicação das metodologias
  • Foco no resultado de curto prazo

Implementação Lean

O modelo de trabalho a AURUS, propõem o assessoramento a Empresa, objetivando a transferência de conhecimento e experiências. Assim todas as nossas propostas de atuação são no intuito de capacitar e instruir, objetivando que a organização possa seguir a Jornada Lean, sem a criação da dependência de qualquer instituição externa.

O termo “assessoramento” por si, define o modelo de atuação da AURUS quanto ao processo de implementação de uma Cultura Lean. Denotando que o percurso deve ser trilhado pela própria organização, transformando-nos apenas em tutores.
Nossa proposta de trabalho é toda montada com base nessa premissa.
• Elaboração de um Sistema de incentivo e reconhecimento à Melhoria;
• Unificação das iniciativas existentes;
• Criação de um ambiente favorável à inovação e melhoria contínua;
• Capacitação do corpo funcional na Filosofia Lean, sua importância e objetivos;
• Capacitação dos Especialistas Lean nas principais ferramentas e técnicas;
• Realização de Projetos com foco na obtenção de resultados para companhia;
• Estabelecimento de uma metodologia de gestão das melhorias alinhadas com o Sistema de Gestão Integrado (ISO 9001);
• Monitoramento e adequação do Sistema às mudanças no ambiente sócio-organizacional.

Projeto: 06 meses a 01 ano

Six Sigma

A implementação Six Sigma consiste da capacitação continuada além de acompanhamento e suporte à execução de projetos conforme as etapas abaixo relacionadas.

Cronograma

Etapa do
Projeto
Fase do
Projeto
Nº de Encontros Horas por Fase Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 5
1.1.   DEFINE a.      Levantamento das oportunidades de projetos; 1 0,0 -----
b.      Definição dos projetos Six Sigma; 0,0 -----
c.      Suporte a elaboração do termo de abertura de projeto; 1,0 1,0
d.      Adequação à metodologia A3; 0,5 0,5
e.      Elaboração Plano de Projeto. 0,5 0,5
1.2 MEASURE a.      Elaboração do mapa de fluxo de processo; 2 3,0 2,0 1,0
b.      Definição de variáveis chave de processo; 0,5 0,5
c.      Plano de medição; 0,5 0,5
d.      Coleta de dados; 0,0 -----
e.      Levantamento de efeitos indesejados e evidências. 0,5 0,5
1.3 ANALYZE a.      Elaboração do SIPOC; 2 2,0 1,0 1,0
b.      Cálculos de Processo, definição de nível SIGMA; 1,5 ----- 1,5
c.      Levantamento de perdas; 2,0 1,0 1,0
d.      Análise de causas raiz. 4,0 ----- 2,0 2,0
1.4 IMPROVE a.      Plano de Ação; 1 0,5 0,5
b.      Implementações; 0,5 0,5
c.      Ferramentas de garantia; 0,5 0,5
d.      Revisão de Procedimentos. 0,5 0,5
1.5 CONTROL a.      Plano de Controle; 1 1,0 1,0
b.      Contabilização de ganhos; 1,0 1,0
c.      Encerramento do projeto; 2,0 2,0
d.      Seção de Lições Aprendidas. 1,0 1,0
TOTAIS POR PROJETO 7 23,0 4,0 4,5 5,5 4,0 5,0 0,0
TOTAIS 4 PROJETOS 46,0 16,0 18,0 22,0 16,0 20,0 0,0
Engenharia de Processos

MAPEAMENTO DE PROCESSOS

KAIZEN (Worshops Kaizen)

Capacitação

Os participantes deverão ser sensibilizados para as vantagens da aplicação da metodologia Lean com foco no resultado e aplicação prática através da apresentação de estudos de casos reais em empresas, técnicas e ferramentas aplicadas de operacionalização e gestão.
Ao fim da formação, os participantes deverão estar aptos a reconhecer, mapear, selecionar e executar projetos de melhoria e inovação nos processos de produção, administrativos e de serviços, através das principais ferramentas da filosofia Lean.

Mentoring à prática e execução de projetos

Orientar e mentorar à execução de projetos de melhoria da empresa.
São tutoreados os grupos de trabalho oriundos ou não do curso na aplicação dos conhecimentos.
Os projetos serão realizados sob orientação do instrutor, porém totalmente desenvolvidos pelos funcionários da empresa participante, garantindo a independência da empresa Mentora.

5S

Programa de Transição

Substituir o antigo Programa 5S por um “Programa de Transição”; (Se necessário)

O Programa de Transição consistirá de um projeto específico de trabalho a ser adotado pela companhia com fim de desvincular os antigos conceitos de Housekeeping e 5S remanescentes na equipe. Tem por objetivo abrir caminho para implementação de uma nova gestão de padronização organizacional.

Recuperação do Senso de responsabilidade da Equipe de Gestão

Este passo tem por objetivo, recuperar o senso comum de responsabilidade pelos resultados de 5S e Housekeeping da companhia.

Restauração da “Condição Original” – (CO)

Reestabelecer os padrões de 5S Housekeeping;
Esta etapa visa (se necessário), a recuperação ou, o reestabelecimento das condições mínimas aceitáveis pela companhia. A determinação desta “Condição Padrão” deve ser estabelecida pela Equipe de Projeto, sob orientação da contratada.

Associação ao SGI

Migração do “Programa de Transição” para dentro do SGI, descaracterizando o uso de termos específicos anteriores para novos padrões;
Passando a fazer parte do sistema vivo criado pela empresa sendo então auditado dentro do SGI, conforme cronograma de auditorias internas e externas.

ECRS

Capacitação

Capacitação em Técnicas de ECRS com foco na Eliminação de Fontes de Sujeira e Locais de Difícil Acesso
Os participantes deverão estar aptos a realizar projetos com foco na Eliminação de Pontos de Sujeira e Locais de Difícil acesso, buscando identificar e tratar as causas raízes dos problemas e fontes geradoras. Usando uma metodologia sistematizada de análise e solução de problemas.

Tutoreamento à execução de Projeto de E.C.R.S

Orientação e suporte à equipe definida para execução de trabalho de redução dos pontos de sujeira e locais de difícil na linha do cliente;

Gestão do Conhecimento / Lições Aprendidas

Condução de seção final de Lições Aprendidas, elaboração de relatório final contendo a metodologia aplicada, e o desenvolvimento do projeto e modelo de execução para projetos futuros.

Acompanhamento dos resultados obtidos

Caso seja de interesse da empresa documentar formalmente o PROJETO através de Nota Técnica, podemos também auxiliar no desenvolvimento deste trabalho.

TPM

POKA-YOKE
Implementação dos conceitos fundamentais do Poka Yoke e Baka Yoke, mostrando como é possível criar sistemas e dispositivos simples para prevenção e detecção de erros e defeitos, eliminando a possibilidade da sua propagação e reduzindo custos.
Uso da técnica do Poka-Yoke para controle dos processos, transcendendo os processos de fabricação, mas, dando uma visão holística à metodologia.
Aplicação de técnicas simples, para eliminar as falhas humanas no local de trabalho, usando dispositivos baratos que podem ser desenvolvidos pelos próprios operadores no chão de fábrica.

Otimização de Layout
  1. Elaboração de Projetos Arquitetônicos

 

  1. Plantas baixas;
  2. Plantas de Fachada;
  3. Áreas Externas;
  4. Ambientação;
  5. Piso e Teto da área de galpões;
  6. Paisagismo áreas comuns (fumódromo, área de convivência, sala de repouso)

 

  1. Elaboração de Projeto Executivo (Layout)

 

  1. Fornecendo todos os elementos necessários para a execução da obra incluindo a compatibilização de projetos complementares (caso seja necessário).

 

  1. Elaboração de Projetos de Instalações elétricas e hidro-sanitárias

 

  1. Projetos Elétricos;
  2. Projetos Hidro-sanitários;
  3. Avaliação de capacidade de carga elétrica.

 

  1. Projeto Civil

 

  1. Teste de Capacidade de carga dos pisos
  2. Levantamento de quantitativos
  3. Planilha Orçamentária

 

  1. Projeto Eng. Produtiva

 

  1. Levantamento dos processos de operação
  2. Tomada de tempos
  3. Diagrama de Ishikawa e “permanência”
  4. Estudo de otimização do layout, carga e descarga, posicionamento de produtos
  5. Classificação ABC e Operação de Inventário
  6. Elaboração de Estudo da movimentação de logística para distribuição dos produtos
  7. Elaboração de cenários de operação otimizados.
Gestão de Manufatura

Capacitações e acompanhamento da implementação de sistemas de gerenciamento da rotina e liderança voltada para resultados.

Temas foco:

  • Conceito do Sistema de Gestão para Resultados
  • Conceituação de método e processo.
  • Conceito de meta e sua origem, priorização.
  • Mensuração de resultados.
  • Gestão à Vista.
  • Gerenciar para melhorar (PDCA) resultados.
  • Gerenciar para manter (SDCA) resultados.
  • Mapeamento de fluxo de processos.
  • Padronização.
  • Diagnóstico do T.O.
  • Tratamento de anomalias.
  • Sistemas de gestão participativos.
  • Visão sistêmica do sistema de gestão.
  • Desenvolvimento da gestão com foco em resultados.
  • Modelo mental de gestão.

Liderança:

  • Identidade organizacional
  • Feedback
  • Gestão de conflitos
  • Negociação
  • Comunicação eficaz
  • O Sucesso da sua carreira depende de como você se relaciona

o             Aprender a escutar;

o             Enxergar sob a perspectiva do outro (espelhamento);

o             Relacionamento família, chefia e os colaboradores;

  • Desempenho profissional e transformação pessoal

o             Autoconhecimento

o             Limites, traumas, medos

o             Zona de Conforto

o             Teste de Personalidade

  • Vida e decisões
  • Planejamento

o             Legado

o             Plano de Ação

METODOLOGIA

Identificação das oportunidades de melhoria através da análise do macrofluxo de processo.

O desenho do macrofluxo realizado através de pesquisa de campo e entrevista com os colaboradores. Levantamento documentações e evidências.

OBJETIVOS

Observação das oportunidades / desvios do fluxo esperado

Levantamento das oportunidades relacionadas ao processo

Planeamento de Demanda e áreas a fins.

Inclui-se também a análise de layout das áreas de produção. (fluxo físico)

Validação dos processos já existentes

Identificação de oportunidades de redução de custo e/ou aumento da qualidade percebida pelo cliente (interno e externo) em relação ao NPS.

RELATÓRIO

Elaboração de relatório contendo todas as considerações serão apresentadas na sequência estabelecida no macrofluxo, incluindo-se as áreas de suporte, respeitando os seguintes itens:

Pessoa entrevistada

Descrição da etapa de processo

Itens verificados

Requisitos aplicáveis

Requisitos Legais

Itens não verificados

Indicadores

Considerações

Análise de Risco para o processo (RPN)

Informações adicionais (quando aplicável)

O relatório inclui registros fotográficos, documentos, formulários e demais materiais de evidência.

Sobre o Risk Priority Number – RPN

Esse é o indicador de maior aplicabilidade para gestão de riscos. Consiste na quantificação dos potenciais riscos, quanto a Severidade, Ocorrência e Detecção.

Pode-se usar também a matriz de Risco recomendada pela Norma N-2782, que recomenda a Matriz de Aceitabilidade do Risco.

Gestão de Riscos Industriais

HAZOP

Lei de Incentivo à Inovação / INOVAR-PE

Parceiros